DocBrasil Especial – retrospectiva Thomas Farkas na Fundação Cultural Badesc (julho de 2011)

30/06/2011

Thomaz Farkas (1924-2011)

Recebi do José Rafael Mamigonian. Divulgo porque a programação é interessantíssima.

Abaixo a mensagem dele, seguida da programação:

Neste mês de julho, teremos uma programação especial do DocBrasil onde exibiremos uma retrospectiva integral dos documentários produzidos por Thomaz Farkas.

Trata-se de um conjunto de filmes verdadeiramente incontornável não apenas para a compreensão das manifestações populares no Brasil, como para que conheçamos uma das obras mais íntegras, em seu conjunto, da história do documentário brasileiro.

À exceção de “Viramundo”, todos os filmes terão exibição única e estarão distribuídos ao longo de oito sessões (em 8 dias) durante todo o mês de julho (principalmente às quintas e sextas feiras). A programação inicia-se já neste dia primeiro (amanhã) com filmes dirigidos por Thomaz Farkas, além de um breve documentário sobre ele, dirigido por Walter Lima Jr.

Espero que possam estar presentes na Fundação Cultural Badesc para acompanhar o DocBrasil Especial deste mês. Agradeço se puderem repassar este convite aos seus contatos.

Em anexo está a programação.

abraços, até breve,
José Rafael Mamigonian

A Fundação Cultural Badesc tem a honra de apresentar em julho uma programação especial de documentários com a exibição integral dos filmes produzidos por Thomaz Farkas. Ele disse certa vez que “o filme documentário, porque é uma interpretação e não simplesmente uma descrição do real, pode representar um papel importante no processo cultural. No Brasil, ele adquire um significado mais amplo ainda quando se pensa nas distâncias, não somente geográficas mas também culturais. Como apresentar as diferentes manifestações culturais, ligadas a uma realidade especifica em cada região do país, senão através do filme documentário?” Os filmes que Thomaz Farkas produziu e fotografou nas décadas de 1960 e 1970, e os que realizou na década seguinte, obedecem a este impulso: percorrer mais rapidamente as distâncias culturais e geográficas do país.

 

 

 

 O QUÊ: DocBrasil Especial – “Homenagem a Thomaz Farkas”

 QUANDO: dias 1o, 7, 8, 14, 15, 20, 22, 29 de julho de 2011, às 19 horas        

 ONDE: Fundação Cultural Badesc. Rua Visconde de Ouro Preto,

               216, Centro, Florianópolis, fone (48) 3224-8846

  QUANTO: Entrada franca

  CLASSIFICAÇÃO INDICATIVA: LIVRE

Programação

 

 

 

 

Sessão 1 – Thomaz Farkas, documentários

Sexta-feira, 1o de julho de 2011  –  tempo total: 111 minutos

 

Thomaz Farkas, Brasileiro  (dir: Wallter Lima Jr., 2004, 15’)

Curta-metragem que homenageia Thomaz Farkas, o húngaro que, nos anos 1970, tornou-se um dos maiores fotógrafos do nosso país e que, com sua visão muito particular do Brasil, foi capaz de produzir, ao lado de Geraldo Sarno e outros grandes diretores da época, uma série de documentários intitulada “A Condição Brasileira”.

Hermeto, Campeão  (dir: Thomaz Farkas, 1981, 44′)

Fotografias apresentam Hermeto Paschoal em meio aos instrumentos que toca no estúdio em sua casa. Os ensaios onde os sons são descobertos e o improviso dá o tom. Depoimentos de Hermeto sobre a construção autodidata de seu conhecimento teórico sobre música e sua posição política sobre o mercado. Os músicos que integram a sua banda falam sobre o processo conjunto de criação e a admiração que sentem pelo multiinstrumentalista. A criação de Hermeto a partir do sons das abelhas e junto aos sapos. A utilização de objetos inusitados feitos de ferro e o uso do próprio corpo para a geração de novos sons.

Paraiso, Juarez  (dir: Thomaz Farkas, 1971, 6′)

O artista Juarez Paraíso percorre o saguão de entrada do Cinema Tupi, na Baixada dos Sapateiros em Salvador, explicando os elementos que compõem seu trabalho. Construída em 1968, a obra é composta por intervenções no teto e por um grande mural que traz como tema a evolução dos meios de comunicação entre os homens. Matéria do Jornal da Bahia denuncia a retirada do trabalho por um engenheiro, com o objetivo de ceder lugar para a fixação dos cartazes dos filmes da semana.

Todomundo  (dir: Thomaz Farkas, 1980, 35′)

As torcidas de futebol e sua presença nos jogos do Campeonato Brasileiro. A chegada dos torcedores aos estádios, as charangas nas arquibancadas, o problema da superlotação, a ação dos cambistas e a presença da Polícia Militar. O jogo entre o Clube Atlético Mineiro e o São Paulo Futebol Clube pela final do Campeonato Brasileiro de 1977. Momentos de jogo entre a Seleção Brasileira e a Seleção Paraguaia.

Pixinguinha e a Velha Guarda do Samba  (dir: Thomaz Farkas e Ricardo Dias, 1954-2006, 10′)

Em abril de 1954, no Parque do Ibirapuera, e em razão dos festejos do IV Centenário da cidade de São Paulo, Thomaz Farkas filmou uma apresentação de Pixinguinha com grandes nomes do samba carioca. Este material foi reencontrado 50 anos depois.

À continuação, as demais sessões, com filmes de outros diretores, programadas para o mês de julho de 2011:

Continue lendo »

Anúncios

DOC BRASIL – Ernesto Varela, o repórter – nesta quinta de graça na Fundação Cultural Badesc

07/06/2010

Marcelo Tas é hoje amplamente conhecido pela participação no CQC como âncora. A verdade é que décadas atrás fazia algo semelhante (ainda que com um tom menos juvenil) em parceria com Fernando Meirelles, na produtora Olhar Eletrônico. Os curiosos já podem ter fuçado o youtube em busca de vídeos do repórter Ernesto Varela, ou encontrado o pórprio site do Tas. Esta semana será possível assistir de graça a várias reportagens na tela grande e sem pixelização (os benditos quadradinhos gráficos binários).

Recebi do Zé Rafael Mamigonian, diretor do bonito documentário Seo Chico, um retrato. É ele o curador da seleção. Reproduzo:

Continue lendo »


Ciclo Adeus Eric Rohmer, grátis esta semana no Museu Victor Meirelles

08/02/2010

clique na imagem para acessar o site do MVM

Reproduzido a partir de mensagem informativa do MVM:


Dias 9, 10, 11 e 12 de fevereiro de 2010 às 18h30

Sala Multiuso do Museu Victor Meirelles

O Projeto Agenda Cultural 2010 apresenta uma programação especial dedicada ao diretor francês Eric Rohmer (1920-2010), recentemente falecido em 11 de janeiro último. A exibição contemplará os Contes des quatre saisons (Contos das quatro estações), filmados por Rohmer ao longo da década de 1990. O evento é uma parceria do Museu Victor Meirelles, da Aliança Francesa e da Cinemateca da Embaixada da França. Todos os filmes possuem legendas em português.

Na abertura do ciclo, na terça-feira, dia 9, após a exibição de “Conto de Primavera” haverá um debate com o cineclubista Gilberto Gerlach. Logo após a sessão de quinta-feira, será exibido o documentário La Fabrique du Conte d´été, dirigido por Jean-André Fieschi em 2005. Trata-se de um documentário sobre o filme Conto de Verão, de Rohmer.

Programação

09 de fevereiro – Conto de Primavera (Conte de Printemps, 1990)

10 de fevereiro – Conto de Inverno (Conte d´hiver, 1992)

11 de fevereiro – Conto de Verão (Conte d´été, 1996), seguido de La Fabrique du Conte d´été (direção: Jean André Fieschi, 2005).

12 de fevereiro – Conto de Outono (Conte d´automne, 1998)

Sobre Eric Rohmer

“Em 1952, Eric Rohmer inicia sua carreira com a realização de Les petites filles modèles que ele não chega a finalizar em virtude de uma produção deficiente. Em 1959, ele efetua um novo ensaio com Le signe du lion com produção de Claude Chabrol. O filme é um fracasso, não se beneficiando do entusiasmo que suscitavam então os filmes da Nouvelle Vague. Será apenas em 1969 que Rohmer chamaria a atenção da crítica com Ma nuit chez Maud, com Jean-Louis Trintignant e Françoise Fabian nos papéis principais. Os temas favoritos de Rohmer aparecem claramente definidos: o sentimento amoroso, a investigação sobre o universo feminino, os reencontros. O cineasta se lança num projeto ambicioso: sob o título de Contes moraux, ele reúne diversos filmes tal qual: La boulangère de Monceau (1962), La collectionneuse (1966) e L’amour l’après-midi (1972). Eric Rohmer gostava de trabalhar em todas as partes de seus filmes: ele escrevia os roteiros perpassados por narrativas com elementos autobiográficos. Fiel na escolha de seus colaboradores, ele convocou diversas vezes o diretor de fotografia Nestor Almendros, figura emblemática da fotografia da Nouvelle Vague. O estilo de Rohmer é bem característico: a ação se desenrola lentamente, os diálogos são simples, os atores não parecem estar sendo dirigidos, como se eles improvisassem serenamente. Cada plano é composto como um quadro, evocando Gauguin e os impressionistas. Ao longo dos anos 1980, Rohmer roda seus novos filmes, Pauline à la plage (1982) ou Les nuits de la pleine lune são saudados pela crítica. No início dos anos 1990, ele empreende um novo ciclo de contos, cada um evocando uma estação, sendo o último, Conte d’automne, lançado em 1998. Mudando completamente o tom em 2000 com L’anglaise et le duc, afresco histórico com o fundo da Revolução Francesa onde uma jovem inglesa fiel ao Rei se eleva por seus ideais. Em 2003, Rohmer realiza Triple agent, história de um casal russo refugiado em Paris após a revolução bolchevique. Último filme, Les amours d’Astrée et Céladon (2007), revisita o mito pastoral de Honoré de Urfé, num quadro onde reinam as crenças e tradições.” (Texto extraído de Ciné-Ressource, catálogo das bibliotecas e arquivos de cinema franceses, do website da  Cinémathèque Française).

Filmografia completa

http://cinema.encyclopedie.personnalites.bifi.fr/index.php?pk=12915

Mais informações: Museu Victor Meirelles
Rua Victor Meirelles, 59 – Centro – Florianópolis (48) 3222 0692
museu.victor.meirelles@iphan.gov.br
www.museuvictormeirelles.org.br


Quem não viu pode ver hoje: Maciço, documentário de Pedro MC, tem exibição gratuita

11/09/2009

Maciço

Recebi hoje essa boa notícia do Pedro MC, e repasso.

NÚCLEO DINÂMICAS URBANAS E PATRIMÔNIO CULTURAL CONVIDA:

Exibição do documentário MACIÇO, um filme de 77 minutos sobre a região do Maciço do Morro da Cruz – Florianópolis – SC.

“O documentário joga luz sobre as favelas que circundam o Morro da Cruz. E acende a brasa de um debate que precisa acontecer.” (http://www.overmundo.com.br/overblog/documentario-macico-ilumina-morros-da-ilha).

O evento é parte das atividades destinadas ao projeto de Extensão Universitária, desenvolvido pelo NAUI, na região do Maciço do Morro da Cruz e contará com a presença de Pedro MC, diretor do documentário, para debate.

Sexta-feira

11/09/2009

18h30min

Sala Hassis / Piso Térreo / Bloco B

CCE – UFSC

Assista entrevista em vídeo do diretor, Pedro MC, publicada no Overmundo.


Cineclube Rogério Sganzerla exibe documentário mineiro NOS OLHOS DE MARIQUINHA

01/09/2009

Cineclube Rogério Sganzerla (Divulgação)

Nos olhos de Mariquinha (Divulgação)

O QUÊ: Exibição do documentário Nos olhos de Mariquinha. Logo depois da exibição, debate com as realizadoras Claudia Mesquita e Júnia Torres

QUANDO: Nesta quinta-feira, 3 de agosto de 2009, às 18h30

ONDE: No auditório do prédio B do CCE da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina).

QUANTO: Grátis. Entrada franca.

CONTATO: www.cineclube.ufsc.br

Cineclube Rogério Sganzerla apresenta:

Nos olhos de Mariquinha

Com Maria Ribeiro dos Reis
Direção: Claudia Mesquita e Júnia Torres
Fotografia: Anna Karina Bartolomeu
Som direto: Pedro Aspahan
Montagem: Claudia Mesquita, Pedro Aspahan e Júnia Torres
80 minutos

Tendo como fio da narrativa e personagem central Dona Mariquinha, antiga moradora da Vila Nossa Senhora de Fátima (uma das comunidades que compõem a Favela da Serra, em Belo Horizonte), o documentário traça um perfil desta senhora que traz consigo a história deste espaço, desde os primeiros anos de sua ocupação. Personagem emblemática de transformações urbanas ocorridas durante o último meio século na capital, Dona Mariquinha, tendo escolhido a realidade muitas vezes dura da cidade à exploração do trabalho no campo, criou neste lugar sua família e aí experimentou outros papéis, atuando ativamente nos movimentos de moradia, sendo locutora de um programa de rádio, vivendo, enfim, a transformação do lugar e da cidade.


Lançamento, em duas sessões gratuitas, do documentário ENTRELINHAS

30/08/2009
para ampliar, clique na imagem

para ampliar, clique na imagem

Assim como aconteceu com MACIÇO, documentário anterior de Pedro MC, as exibições serão seguidas de debate, o que é louvável. A Fundação Cultural Badesc, mesmo não tendo um espaço amplíssimo, é um ambiente bem propício para boas exibições. O chão é de madeira.

O QUÊ: Exibição do Documentário ENTRELINHAS, de Letícia Cardoso e Pedro MC

QUANDO: Sexta-feira, 4 de Setembro de 2009

ONDE: Fundação Cultural Badesc (Rua Visconde de Ouro Preto, 216, Centro, Florianópolis) Fone 3224.8846

HORÁRIO: Primeira Sessão 19h / Debate 20h / 2ª Sessão 21h

DEBATEDORES: José Geraldo Couto e Maria Cristina Riesinger Pereira

ENTRADA: Gratuita

INFORMAÇÕES: Website: http://entrelinhasdoc.tumblr.com

E-mail: entrelinhas.doc@gmail.com
Pedro MC  | pedromc@terra.com.br  |  8405.5375 / 3025.5375
Letícia Cardoso  |  cardoleticia@gmail.com  |   9926.4224 / 3025.5066

Abaixo, texto de divulgação produzido pelos diretores:

Continue lendo »


Até o dia 11 de agosto, Cineclube Sol da Terra exibe programa PROJEÇÃO do projeto Curta às 6 Petrobras

20/07/2009

curta às seis (divulgação - todos os direitos reservados)

A entrada é franca. As exibições acontecem todos os dias às 18h.

Os curtas programados são:

Continue lendo »


%d blogueiros gostam disto: