Os fortes da ilha – reportagem na revista Problemas Brasileiros

30/01/2012

Os fortes da ilha – reportagem na revista Problemas Brasileiros.

Anúncios

Floripa Jam no Catarse

25/01/2012

Embarquei (eu, Felipe Obrer, autor deste blog) numa empreitada gregária: o financiamento colaborativo do projeto Floripa Jam no Catarse. Fiz uma revisão criativa do texto que estava lá, o Marinho Freire Costa, que é o proponente, topou a idéia, e agora o que está no ar é renovado e tem um quê a mais de poesia. Quem tiver curiosidade, pode conferir neste link. E, se brotar alguma lágrima e motivar colaborações, missão cumprida. A partir de R$ 10 já vale! Há brindes em contrapartida e os apoios têm faixas que vão dos 10 aos 5.000 reais. O apoio pode vir tanto de pessoas físicas, diretamente interessadas em fazer acontecer o projeto, quanto de empresas, para as quais as contrapartidas em forma de visibilidade de marca e mídia espontânea podem ser muito compensadoras.

Floripa Jam é uma proposta de realização de jam sessions em espaços públicos da cidade de Florianópolis, com entrada livre e gratuita para o público em geral. A curadoria é do músico e compositor Leandro fortes, e o proponente do projeto, como dito acima, é Marinho Freire Costa. O mérito de iniciar o processo cabe integralmente a eles. Eu entrei com o barco já navegando, e somo minhas remadas ao coletivo.

Para quem não sabe o que é o Catarse, aí vai uma explicação simples: é uma plataforma de financiamento colaborativo, também chamado em inglês de crowdfunding, que permite a captação direta de recursos para a realização de projetos culturais criativos. É muito simples apoiar um projeto, basta acessar o link e seguir alguns passos fáceis, coisa de 5 minutos, se tanto. Pode ser via boleto bancário, operação bancária online ou cartão de crédito. Tudo seguro e confiável, como demonstram os vários projetos que já tiveram êxito.

Para quem ainda tiver dúvidas, é possível acessar este outro link, com um passo-a-passo sobre como contribuir. Vale lembrar que tão importante quanto a contribuição monetária é a disseminação da campanha, então dedos à obra e a palavra é compartilhar.


Cartografias Afetivas: Criação artística colaborativa proposta por Juliana Crispe

27/11/2010

Recebi da Juliana Crispe, tomo a liberdade de divulgar porque acredito que é desse tipo de iniciativa que Floripa precisa. Atenção artistas, embora dissesse o Paulo Leminski que distraídos venceremos, participem!

A mensagem dizia:

Olá, convido você a participar do projeto Cartografias Afetivas

Este trabalho está em construção e faz parte da minha dissertação de Mestrado em Artes Visuais intitulado de: Apontamentos para Lembranças.

Cartografias Afetivas é um projeto que propõe a construção de mapas, cartografias do universo pessoal, experimentado por cada um, ou seja, cartografias de vivências, pessoas, lugares, espaços, territórios afetivos, que nos são importantes e nos afetam.

Num primeiro momento, este projeto em construção buscava mapear lugares reais e ficcionais vivenciados por mim. Comecei a traçar meus lugares afetivos e fazer ações, trabalhos visuais relacionados a estes espaços e às lembranças que estes me evocam.

A partir de questões ligadas a psicogeografia[1] proposta pela Internacional Situacionista, busco ampliar essas cartografias, dando possibilidade para que outras pessoas possam construir suas cartografias, seus mapas, construindo assim um arquivo em constante construção, na medida em que novos espaços meus e de outras pessoas serão cartografados.

Para que possa haver as trocas foi criado um blog, ainda em desenvolvimento, para postar além de minhas cartografias afetivas, as cartografias de quem quiser participar do projeto.

Há em anexo um cartaz do projeto. A linguagem para construção é livre.

A proposta final buscará a construção de uma exposição coletiva com as Cartografias Afetivas dos convidados.

Enviar suas Cartografias Afetivas para este e-mail: ju_ceart@yahoo.com.br e para cartografiasafetivas@gmail.com

Em caso de dúvida escrever para ju_ceart@yahoo.com.br.

Atenciosamente

Juliana Crispe

[1] A palavra ‘psicogeografia’ esteve muito em voga nos anos 1990 em Londres. Foi originada nos anos cinqüenta com o grupo francês, primeiramente chamado Letristas, e depois Situacionistas. Sua primeira aparição foi na ‘Introdução a uma Crítica da Geografia Urbana’ (1955), onde dá uma definição compacta: ‘o estudo dos efeitos do ambiente geográfico, conscientemente organizado ou não, nas emoções e maneiras, comportamentos e modos de ação, procedimentos e condutas, ações e atos de indivíduos’.

A psicogeografia seria uma prática geográfica afetiva e subjetiva que se propunha a cartografar as diferentes ambiências psíquicas provocadas pelas caminhadas urbanas que eram as derivas situacionistas.

A Juliana pede, aos que aceitarem participar do projeto, confirmação por e-mail.


Artistas catarinenses abordados em livros da coleção Vida e Arte, da Tempo Editorial

26/11/2010

Este slideshow necessita de JavaScript.

O lançamento dos primeiros quatro volumes da coleção Vida e Arte, editados pela Tempo Editorial, acontecerá na galeria de arte Helena Fretta, no dia 1o de dezembro, às 19h. Os artistas abordados são Eli Heil (por Regis Malmann), Hassis (por Néri Pedroso), Meyer Filho (por Daisi Vogel) e Paulo Gaiad (por Fifo Lima).

Estão previstos outros lançamentos para o ano que vem.

A iniciativa merece atenção.

Saiba mais sobre os livros:

View this document on Scribd

O endereço da galeria é:

Rua Presidente Coutinho,516, Centro
Florianópolis, SC, Cep 88015-230
Fone / Fax : (48) 223-0913
Fone: (48) 222-0668

Para quem não conhece, o mapa pode ser útil:


Joana Knobbe em foto de barriga

21/11/2010


_MG_2476, upload feito originalmente por Felipe Obrer.

O show aconteceu no dia 9 de novembro de 2010, no Full Jazz Bar, em Curitiba. Fiz as fotografias e registrei em vídeo. Aos poucos, vou publicando os registros. Este é um caminho para chegar às fotos.

Foto de barriga é um termo que uso para definir imagens feitas com exposição longa, com a câmera apoiada no peito ou no plexo, girando em estágios sobre o próprio eixo.

Dá nisso. O som é dinâmico, convém que representações visuais dele acompanhem o movimento.


Fortalezas da Ilha de Santa Catarina

24/05/2010

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fiz um post para o Guia do Overmundo. Replico aqui.

Pra começar: Santa Catarina é o nome do Estado, mas também de uma ilha que já se chamou em algum passado Ilha dos Patos. A cidade onde a ilha fica é Florianópolis. Que tem também uma porção continental, com bairros como Estreito e Coqueiros.

Nada disso vem ao caso.

As fortalezas foram construídas a mando de Portugal no século 18 (não me curvo mais aos números romanos). Evidentemente a construção teve a ver com as disputas entre as coroas portuguesa e espanhola. Três foram restauradas a partir do fim dos anos 80 (do século 20). São elas: Santa Cruz (na Ilha de Anhatomirim), São José da Ponta Grossa (na própria Ilha de Santa Catarina, na chamada Praia do Forte, que fica perto da Daniela e à qual se chega passando por Jurerê) e, por último (ou antes, se refizermos o círculo começando em outro ponto), Santo Antônio (na Ilha de Ratones Grande). O nome que sempre aparece como gestor-mor da construção (entre 1738 e 1744) é o do Brigadeiro José da Silva Paes.

Continue lendo »


Felixfônica e as manifestações populares do Brasil – fresquinho pra download no Overmundo!

06/04/2010

Falar sobre música? Música é de ouvir, não de falar. Ouçam, ouçam!

Está no Overmundo pra ouvir, baixar de graça e compartilhar por aí, ali, lá.

Aí vai o link: http://www.overmundo.com.br/banco/felixfonica-e-as-manifestacoes-populares-do-brasil


%d blogueiros gostam disto: