Aos navegantes, um pedido de paciência

20/10/2009

Na última semana e meia o Obrér Cultural careceu de publicações novas. Continuo recebendo cada vez mais divulgações sobre acontecimentos culturais em Florianópolis. Aos poucos o ritmo vai ser retomado.

Olho (foto: Felipe Obrer)


Exposição coletiva NOVa põe na roda produções em vídeo, fotografia e texto

06/10/2009

Imagem enviada por Tiaraju Verdi:

para ampliar, clique na imagem

para ampliar, clique na imagem

Texto enviado por Letícia Weiduschadt:

NOVa é uma exposição que apresenta reconstruções de performances orientadas para fotografia e vídeo. Exercícios como esses tem sido uma das formas que elegemos para pesquisar o acervo de performances nas artes visuais dos anos 1960 até o presente, constituído grande parte por documentos, como fotografias, filmes, vídeos, depoimentos escritos e descrições. É importante ressaltar que, frequentemente, o acesso que temos a este tema é através desses documentos. Como artistas, estudantes, historiadores ou teóricos da arte, nosso repertório tem sido construído a partir dessa série de
registros.

Reconstruir performances implica, evidentemente, numa série de acomodações: a primeira delas, conforme a escolha do trabalho, o que temos como acesso são apenas traços da ação, compostos basicamente por descrições ou imagens coletadas em livros e catálogos. A segunda, e sem dúvida de maior importância, é que o trabalho escolhido será refeito por um outro performer. Ou seja, há um outro modo de expressão e interpretação aí contidos. Nesse sentido, as reconstruções ou re-interpretações, aqui presentes, mostram uma lógica de pensar a performance nas artes visuais como uma partitura musical.

Participam dessa exposição: Ana Clara Jolly, Carolina Rögelin, Fernando Weber, Genoína Battistini, João Rosa, Karina Segantini, Letícia Weiduschadt, Maíra Dietrich, Marina Borck, Priscilla Menezes, Rosana Rocha, Tiaraju Verdi e Vinicius Nepomuceno com produções em vídeo, fotografia e textos, desenvolvidos em 2008 e 2009, na oficina de estudos de performance ministrada no CEART/UDESC por Regina Melim.

Nosso objetivo em mostrar essas re-construções, somado ao fato de ser a via que elegemos para o estudo e a pesquisa da história da performance nas artes visuais, é que esses exercícios possam se configurar como um modo de representação e preservação de uma forma de arte efêmera por natureza.

Outubro de 2009.

O quê: Exposição NOVa
Quando: Abertura dia 7 de outubro às 19h. Conversa com artistas e curadoria dia 15 de outubro às 18h.
Onde: Memorial Meyer Filho. Praça XV de Novembro, 180 – Centro, Florianópolis (Esquina com a Rua Tiradentes).

Horário de funcionamento: das 10h às 18h, de segunda à sexta.


Trino se apresenta com Dona Neco e Niquinha no Sol da Terra, de graça

05/10/2009
clique na imagem para ampliar

clique na imagem para ampliar

Recebi a seguinte mensagem da Ive:

Olás,

o Trino se apresenta novamente, desta vez com a felicidade de contar com a participação de Dona Neco e Niquinha, cantadoras de Terno de Reis do Campeche. Elas se apresentarão antes de nós, acompanhadas de sanfona e rabeca, num show de aproximadamente quarenta minutos. O Trino tocará em seguida e tocaremos junto com elas um pouquinho. O show vai acontecer no Espaço Cutural Sol da Terra, nesta terça-feira, dia 06 de outubro. Estão todos convidados! Abraços, Ive Luna.

Serviço:
O quê: Trino – Ive Luna – voz / Osvaldo Pomar – percussão / Pedro Cury – violão
Quando: 06 de outubro /20h
Onde: Espaço Cultural Sol da Terra – Rua Afonso Delambert Neto, 885 – Lagoa da Conceição – 32322303
Quanto: Entrada franca

Continue lendo »


Múltipla Dança – Desdobramentos

05/10/2009
clique na imagem para ampliar

clique na imagem para ampliar

Aliança Francesa Florianópolis apresenta
Múltipla Dança Desdobramentos | Ano da França no Brasil

Espetáculos + workshops.
Inscrições para workshops até dia 09/10.

Confira a programação completa em http://multipladanca.webnode.com/programacao/.


Encontro Internacional de Contato Improvisação na Natureza

05/10/2009

para ampliar, clique na imagem

O nome do encontro acende muito interesse.

Aí vão as informações:

1º. Encontro Internacional de Contato Improvisação na Natureza

“Transformando pela prática”

De 9 a 18 de dezembro 2009

Florianópolis/ SC – Brasil
Camping do Parque Estadual Rio Vermelho – reserva florestal – norte da Ilha

Organização: Hary Salgado, Ana Alonso e Iris Fiorelli.

Mais informações: http://www.transformandopelapratica.blogspot.com/

transformandopelapratica@gmail.com

Professores convidados:


Lucia Bertone-(Argentina)

Heike Kuhlmann-(Alemanha)

Camillo Vacalebre-(Itália – Brasil)

Gustavo Lecce-(Argentina)

Ralf Jaroschinski-(Alemanha)

Cristina Turdo-(Argentina)

Veja o cronograma:


Exposição PLURAIS, de Paulo Pugialli, fica ao longo de um mês na Fundação Cultural Badesc

05/10/2009

Clique sobre as imagens para ampliá-las (Divulgação – Todos os direitos reservados)

O QUÊ: Exposição Plurais.

QUANDO: Abertura, dia 7, às 19 horas. Visitação de 8 de outubro a 6 de novembro, de segunda à sexta, das 8 às 18 horas.

ONDE: Fundação Cultural Badesc. Rua Visconde de Ouro Preto, 216, Centro, Florianópolis, tel.: (48) 3224-8846.

QUANTO: Entrada gratuita.

Abaixo, texto enviado por Fifo Lima:

Pugialli expõe na Fundação Cultural Badesc

Paulo Roberto Pugialli abre a exposição Plurais quarta-feira (7), às 19 horas, na Fundação Cultural Badesc, em Florianópolis. O artista denomina a coleção de pinturas-objeto. São imagens em absoluta desordem, da concepção visual ao suporte das telas.

A arte de Pugialli está entranhada da sua própria maneira de viver. O artista é um nômade que vai adicionando referências e estabelecendo relações com o ambiente por onde tem vivido. Ele não acumula nada em sua vivência, nem sua própria obra. Seu acervo está em um microcomputador.

No projeto da exposição para a Fundação Cultural Badesc, Pugialli exibe uma sequência no qual “a proposta curatorial é de alterar as relações espaciais do volume da pintura e do local expositivo, procurando alterações da situação limite entre o espectador, a estrutura pictórica e o lugar”, descreve o artista plástico e gravador Nelson Hohmann.

São obras que expõem o visitante a uma leitura movediça. Nas telas do artista é possível visualizar a retória da desordem. “Por mais que a sociedade, as autoridades, tentem organizar a vida, a desordem tem um poder maior e se estabelece”, diz o artista.

A pluralidade da linha e da forma das pinturas-objeto expõe confiança e cilada, e conduzem o espectador a explorar uma geometria do insconsciente. São caminhos muitas vezes estabelecidos pelas próprias dobras das telas que sugerem outras leituras das imagens.

Segundo o artista plástico José Maria Dias da Cruz, a obra de Pugialli “está em consonância com as mais avançadas pesquisas da arte contemporânea internacional, ampliando os conceitos de linha, superfície e ritmo”.

O artista estudou artes plásticas na Escola de Artes Visuais do Parque Lage e no Museu de Arte Moderna, no Rio de Janeiro, e no Museu da Gravura da Cidade de Curitiba. Em 1998 recebeu o prêmio principal no 55º Salão Paranaense. Sua obra está representado em coleções particulares e públicas no Brasil e no exterior.

Pugialli foi selecionado pela comissão do edital de arte da Fundação Badesc, que escolhe seis exposições por ano de projetos de todo o Brasil. Além das seis exposições selecionadas, há ainda mais um artista convidado, que em 2009 foi Walmor Corrêa.

O QUÊ: Exposição Plurais. QUANDO: Abertura, dia 7, às 19 horas. Visitação de 8 de outubro a 6 de novembro, de segunda à sexta, das 8 às 18 horas. ONDE: Fundação Cultural Badesc. Rua Visconde de Ouro Preto, 216, Centro, Florianópolis, tel.: (48) 3224-8846. QUANTO: Entrada gratuita.

CONTATO:

Paulo Roberto Pugialli
(48) 3224-8846

FIFO LIMA press
assessoria de imprensa
(48) 4141-2116, 9146-0251


Projeto 365 – exposição de três artistas no Palácio Cruz e Sousa

05/10/2009

ABERTURA DA  EXPOSIÇÃO

Projeto

365

com as artistas

Cassia Aresta, Helenita Peruzzo e Rosa Grizzo

projeto 365 - divulgação

Dia: 08 de outubro de 2009

Hora: 19:00

Conversa com as artistas às 18h no auditório do Museu, com a participação da convidada Anita Prado Koneski, professora do Centro de Artes – CEART – UDESC

Visitação: 09/10/09 a 28/10/09, de terça a sexta, das 10h às 18h
sábado e domingo, das 10h às 16h.

Diários de parede

Exposição Projeto 365 reúne trabalhos de artistas que durante um ano criaram uma obra por dia

Três vidas. Três olhares. Todos os dias do ano para criar. Esses são os elementos do Projeto 365, em exposição no Museu Histórico de Santa Catarina entre 9 e 28 de outubro. A mostra, promovida pela Fundação Catarinense de Cultura (FCC), reúne três sequências de 365 obras, elaboradas diariamente pelas artistas Cassia Aresta, Helenita Peruzzo e Rosa Grizzo durante um ano. Através de quadros 10x10cm, elas colocam em pauta uma poética pessoal esquecida nos afazeres cotidianos.

O Projeto 365 constitui um misto de diário e linha do tempo, que registra o dia-a-dia das artistas. Utilizando o fazer artístico como medida cronológica, o projeto forma conjuntos que retêm, nas pequenas obras de arte, os pensamentos e as rápidas experiências que normalmente se dissolvem na constância da rotina.

O compromisso inadiável do fazer artístico diário cria um jogo conceitual mostrado no conjunto das mais de mil obras expostas na mostra. Nesta reunião, é possível perceber o diálogo no contraste entre as técnicas escolhidas para narrar o passar do dias, sugerindo os acontecimentos e pensamentos diversos da vida de cada artista.

Cassia Aresta faz uso de sua linguagem concretista, em colagens de papéis coloridos com motivos geométricos, bem como recortes de embalagens e catálogos. “Muitas vezes no exercício diário da vida, ficamos alienados do nosso eu, por mais paradoxal que isso possa ser. As distrações oferecidas pelo cotidiano me afastam do eu artístico, da minha estética de viver. Propus-me então a abrir a minha “caixa preta” existencial. A consequência disso é o resgate, em mim mesma, de um tempo-arte próprio, que não esse dos calendários pré-concebidos.”

Helenita Peruzzo construiu suas peças com os materiais que atravessaram seu caminho: fotos de revistas, embalagens, cartelas de comprimidos, pedaços de tecido e outros elementos. “O dia após dia, na sua trajetória, é implacável no descarte daquilo que abandonamos à desatenção. Assim, passam à inexistência um pedacinho de linha que se perdeu atrás da porta, a cartela vazia de comprimidos ou mesmo um instante de luz do sol sobre o tapete. Coisas e eventos que clamam por manuseio e transformação em registro, para que adquiram papel e existência, glorificados nas pequenas insignificâncias, que formam a trama do cotidiano.”

Rosa Grizzo reproduziu sua própria silhueta (tema recorrente em sua obra), em folhas de papel vegetal, “desenhando” figuras com furos feitos por agulha. “No papel vegetal perfurado com agulha, desenho a minha silhueta – esta, o fio condutor de pensamentos. Com esse material,  represento o conjunto de experiências do meu dia-a-dia, perfurando e marcando um roteiro no interior pessoal mais profundo.”

O projeto 365 é uma exposição itinerante e já esteve no MAC-Paraná em Curitiba, na Cidadela Cultural Antártica do Museu de Arte de Joinville e na 2º Bienal de Artes Plásticas Brasileiras em Bruxelas. Em novembro, a mostra irá para Porto Alegre e chega a São Paulo no ano que vem. No dia 8 de outubro, haverá uma conversa com as artistas às 18h no auditório do Museu Histórico de Santa Catarina. A mostra é aberta à visitação a partir do dia 9. A entrada é gratuita.

Visitação: 09/10/09 a 28/10/09, de terça a sexta, das 10h às 18h
sábado e domingo, das 10h às 16h.
MUSEU HISTÓRICO DE SANTA CATARINA
Palácio Cruz e Sousa – Praça XV de Novembro, 227 – Centro – 88010-400 – Florianópolis – SC
Fone:(48)3028-8091 – mhsc@fcc.sc.gov.br
mhscconvida@fcc.sc.gov.br
http://www.mhsc.sc.gov.br/

%d blogueiros gostam disto: