Arte Contemporânea no Empório Mineiro, na Lagoa

para ampliar, clique na imagem

para ampliar, clique na imagem

Coisas que se sabe: haverá show, na abertura, do Trio Borandá, que faz música brasileira (tem clarinete, voz, bateria e violão). Além disso se sabe também que haverá intervenções temporárias, como gemas de ovos penduradas no teto, exploração da tridimensionalidade por uma fotógrafa que decidiu lidar com mais que apenas foto e, por último, dessas coisas curiosas, sabe-se que um cara vai fazer uma dança estranha, com movimentos corporais imprecisos e incomuns. Só por esses detalhes já vale ir à abertura.

Abertura 14 de agosto de 2009 às 20h……………………Horário de visitação Segunda a sábado, das 8h às 22h. Domingo, das 12h às 21h…………………..De 14 de agosto a 10 de setembro de 2009…………………..Empório Mineiro Café Via Lagoa Shopping. Rua Henrique Veras do Nascimento, 240 / Loja 106 A. Lagoa da Conceição, Florianópolis. (48) 3232-0931 (48) 3232-0931 …………………..Apoio: Empório Mineiro Café e Instituto Meyer Filho

Abaixo, texto e imagens de divulgação:

Gostaria de convidá-los para a Mostra Coletiva NÃO FOSSE ISSO ERA QUASE a ser realizada no Empório Mineiro Café às 20h, dia 14 de agosto.

Augusto Benetti

Claudia Lira

Debora Pazetto

Fê Luz

Giorgio Filomeno

Jorge Luiz

Juliana Crispe

Leandro Serpa

Letícia Weiduschadt

Marina Borck

Silmar P

Teresa Siewerdt

Em 2007 dei início ao projeto NÃO FOSSE ISSO ERA QUASE, com a participação da pesquisadora Maristela Muller, de sete artistas e do grupo Membrana. A exposição aconteceu no Et Cetera Café, com uma proposta conceitual de pensar o mimetismo das obras no espaço, o site specific e a psicastenia, tema abordado por Roger Caillois, do qual falarei mais adiante. O nome da exposição faz referência a um fragmento da poesia de Paulo Lemisnki: Não fosse isso/e era menos./Não fosse tanto/e era quase. Depois de conversas com os artistas e com a Historiadora e professora Rosângela Cherem, chegamos ao título de um projeto que agora reúne, de uma só vez, doze artistas: Augusto Benetti, Claudia Lira, Debora Pazetto, Fê Luz, Giorgio Filomeno, Jorge Luiz, Juliana Crispe, Leandro Serpa, Letícia Weiduschadt, Marina Borck, Silmar P e Teresa Siewerdt.

Tanto a primeira quanto a segunda mostra foi apoiada pelo Instituto Meyer Filho, que se propõe a incentivar a pesquisa e a produção em arte contemporânea na Ilha. Um dos objetivos deste projeto é, além de levar a arte ao público não-iniciado, utilizar espaços pouco convencionais para uma mostra de arte, geralmente realizada em museus, galerias e outros espaços institucionais direcionados à cultura. Talvez a parte divertida desta exposição seja a impossibilidade de ver, de uma só vez, todas as obras. Quem não precisar de um guardanapo, por exemplo, não verá a frase de Teresa Siewerdt: “Sensação Insuportável”, carimbada nestes pequenos pedaços de papel. Desenhos no ponto de ônibus, plotagem na escadaria, dispositivos que unem cadeiras, trilhas de formigas, cardápios de restos, aquário de santos e buda, inscrições em portas de vidro, gemas de ovos penduradas no teto, performance, fotografia imitando papel de parede e panfletos são as intervenções e instalações que estão no espaço do café e, também, em seu entorno.

No texto Mimetismo e Psicastenia Legendária, Roger Caillois fala sobre os animais mimetizados que são encontrados dentro do estômago de seus predadores. Aqui, os artistas são como as presas, que mesmo mimetizadas podem ser engolidas a qualquer momento por um olhar atento ou um gesto desprevinido. Quero dizer que as obras não são visíveis a um primeiro olhar, mas podem ser capturadas, dependendo da permanência e da percepção das pessoas no ambinete onde elas se encontram. Fala-se muito sobre a dificuldade de ver arte nesta cidade, sobre os poucos museus e galerias e, principalmente, sobre o não-entendimento da arte contemporânea. Para tentar amenizar esta última colocação, pedi aos artistas que escrevessem algumas linhas sobre os seus próprios projetos, na tentativa de elucidar prováveis pontos de interrogação. Vale lembrar que todos os artistas estão sendo ou foram formados no Centro de Artes da UDESC.

Mais informações sobre a mostra e os artistas no endereço:

http://www.overmundo.com.br/overblog/nao-fosse-isso-era-quase-1

Abertura 14 de agosto de 2009 às 20h……………………Horário de visitação Segunda a sábado, das 8h às 22h. Domingo, das 12h às 21h…………………..De 14 de agosto a 10 de setembro de 2009…………………..Empório Mineiro Café Via Lagoa Shopping. Rua Henrique Veras do Nascimento, 240 / Loja 106 A. Lagoa da Conceição, Florianópolis.  (48) 3232-0931  (48) 3232-0931 …………………..Apoio: Empório Mineiro Café e Instituto Meyer Filho

Gratuito e aberto ao público,

Atenciosamente,

Kamilla Nunes

Curadora

nunes.kll@gmail.com

(48) 91146111  (48) 91146111

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: